Portagens em Portugal: como funcionam e como se pagam

A cobrança de portagens em Portugal é normal em grande parte das autoestradas do país. Existem dois tipos de portagens: as tradicionais, que têm algum tipo de barreira e muitas vezes um portageiro, e as exclusivamente eletrónicas. Saiba como funcionam.

Portugal é um país com a dimensão certa para viagens de carro. Servido por uma boa rede de autoestradas, onde pode conduzir com mais velocidade, em segurança e menos trânsito, rapidamente se chega do norte ao sul.

No início ou no fim das autoestradas, encontra uma portagem que, em Portugal, pode ser tradicional (onde há uma cabine) ou exclusivamente eletrónica (um pórtico). Tanto uma como a outra, têm métodos de pagamento diferentes. Ainda assim, existem formas de pagamento que podem ser usadas em ambas as portagens em Portugal.

E há algumas diferenças nos métodos de pagamento que podem ser usados, caso o seu veículo tenha matrícula portuguesa ou estrangeira. Passamos a explicar.

Se o seu veículo tiver matrícula portuguesa

Portagem tradicional

Portageiro

Uma das opções quando passa por portagens tradicionais em Portugal é pagar ao funcionário que estiver numa das cabines. Nalguns casos, o pagamento é também feito numa máquina automática colocada no exterior da cabine.

Há autoestradas onde só há um ponto de controlo ou portagem, que pode estar no início ou no fim do percurso, dependendo do sentido. Noutros casos, é preciso tirar um bilhete na portagem onde começa a viagem e entregá-lo ao funcionário (ou à máquina), no final do percurso. Nestes casos, o valor a pagar depende da classe do veículo e do número de quilómetros percorridos naquela viagem.

Via Verde

A Via Verde é um método de cobrança eletrónico, que permite passar nas portagens sem ter de parar. O sistema funciona através de um dispositivo colocado no vidro do carro. Quando passar na via reservada a utilizadores da Via Verde, o dispositivo é lido e o valor da portagem é debitado da conta bancária associada. Os motociclos com Via Verde beneficiam de um desconto de 30% nas portagens em Portugal. As vias reservadas à Via Verde estão identificadas com um ‘V’ branco dentro de um quadrado verde. Consulte aqui os preços de adesão a este serviço.

Pré-pago Via Verde

Este método é semelhante ao da Via Verde convencional. No entanto, o valor a pagar não é debitado da conta bancária. O utilizador faz um pré-carregamento do dispositivo e o valor vai sendo debitado à medida que passar em portagens em Portugal. Quando estiver quase a terminar o saldo, recebe um aviso. O carregamento pode ser feito numa Loja CTT ou Posto de Correio, num Agente PayShop ou no Multibanco. Consulte os preços.

Portagem exclusivamente eletrónica

Pós-pagamento

Quando passar em portagens exclusivamente eletrónicas em Portugal, que normalmente são pórticos e não têm cabines, o pagamento deve ser feito até cinco dias úteis depois. Pode pagar nas Lojas CTT e Postos de Correio (em alternativa, no site CTT ou na app CTT pode obter os dados para pagamento nas caixas multibanco), Agentes Payshop, no Balcão de Informações do Aeroporto Francisco Sá Carneiro ou na rede de caixas Multibanco.
Deve indicar a matrícula do carro para saber qual o valor a pagar. Se optar pelo pagamento multibanco, introduza aqui os dados para receber a referência.

Via Verde e pré-pago Via Verde

Tal como nas portagens tradicionais, a Via Verde e a Via Verde pré-paga também funcionam nas portagens exclusivamente eletrónicas em Portugal.

Pré-pago anónimo

O sistema pré-pago anónimo é semelhante ao pré-pago Via Verde. No entanto, em vez de o dispositivo ficar associado à matrícula do carro, pode ser usado em vários carros, desde que façam parte da mesma classe. Está disponível nas Lojas CTT e os carregamentos podem ser feitos numa Loja CTT ou Posto de Correio, num Agente PayShop ou no Multibanco.

Se o seu carro tiver matrícula estrangeira

Portagem tradicional

Portageiro

Para os carros de matrícula estrangeira que passam por portagens tradicionais em Portugal, o método de pagamento no local é igual ao dos carros de matrícula portuguesa. Pode pagar ao funcionário que está na cabine ou na máquina automática no exterior da cabine, em dinheiro ou cartão multibanco.

Via Verde Visitors

A Via Verde Visitors permite aos carros com matrícula estrangeira passar sem parar nas autoestradas em Portugal. É colocado um identificador no pára-brisas do carro e quando se passa na portagem reservada a utilizador da Via Verde, o valor a pagar é debitado da conta bancária associada ao serviço. Consulte os preços associados ao serviço.

O aluguer do identificador é válido por 90 dias e tem o custo de 6€ na primeira semana e de 1,50€ nas semanas seguintes. É ainda paga uma caução de 15€, reembolsados quando for devolvido o identificador.

Portagem exclusivamente eletrónica

EasyToll

Permite pagar as portagens exclusivamente eletrónicas em Portugal através da associação de um cartão bancário à matrícula do carro. Para poder aderir a este sistema é necessário entrar em Portugal por um destes sítios:

  • A28 – Área de Serviço de Viana do Castelo;
  • A24 – A 3,5 km da fronteira Chaves/Verin;
  • A25 – Área de Serviço de Alto de Leomil (Vilar Formoso);
  • A22 – Junto à fronteira de Castro Marim/Ayamonte.   

No local destinado a ativar este serviço, basta inserir o cartão no terminal e a associação à matrícula é feita de forma automática. A adesão custa 0,74€. Por cada viagem realizada paga um custo administrativo de 0,32€ além do valor da portagem. Ou seja, se a portagem custar um euro, pagará 1,32€. O serviço tem a duração de 30 dias.

Toll Service

O Toll Service tem duas opções. Uma é adquirir um cartão pré-pago, que fica associado à matrícula do carro. Cada vez que passar numa portagem eletrónica, o valor é descontado ao saldo do cartão. Tem validade de três dias.

A outra opção é comprar um cartão que permite fazer percursos pré-definidos (de ida ou de volta). Os percursos são:

  • Aeroporto do Porto (via A28/A41 ou via A41/A42);
  • Aeroporto de Faro (via A22. Esta autoestrada é normalmente chamada de Via do Infante)

Toll Card

O Toll Card é um cartão pré-pago (5€, 10€, 20€ ou 40€) que fica associado à matrícula. O valor é descontado do saldo cada vez que se passa numa portagem. É válido por um ano e cada viagem tem um custo administrativo de 0,32€.

Via Verde Visitors

O serviço Via Verde Visitors também é válido nas portagens exclusivamente eletrónicas.

Pré-pago com dispositivo temporário via verde

Semelhante ao Toll Card, este método não usa um cartão mas sim um dispositivo colocado no vidro do carro. O saldo disponível é válido durante 90 dias e o tempo começa a contar cada vez que é feito um carregamento.

Classes dos veículos

Por fim, e independentemente do país da matrícula, é importante saber que existem quatro classes de veículos. A classe 1 é a mais barata e a classe 4 a mais cara. Por exemplo, um Renault Clio, um Peugeot 208 ou um motociclo correspondem à classe 1 e pagam o valor mais baixo. Mas um Renault Kadjar ou um Peugeot 4007 já pagam o valor da classe 2.

No entanto, quando equipados com um dispositivo da Via Verde, alguns veículos da classe 2 pagam o preço da classe 1. Saiba qual a classe (sem Via Verde) a que pertence o seu veículo e calcule aqui a tarifa que lhe corresponde.

Se vai ficar a viver em Portugal e ainda tem o automóvel com a matrícula do seu país, leia este guia para matricular um carro em Portugal. Esteja também atento ao seguro automóvel e saiba como é que funciona em Portugal.

 

Está a pensar numa mudança para Portugal?

Como posso ter benefícios fiscais?

Saber mais

De que preciso para comprar casa?

Saber mais